O secretário-geral “lamenta profundamente” o fim do Tratado de Forças Nucleares de Alcance Intermediário, INF, na sigla em inglês, anunciado esta sexta-feira.

Em nota publicada pelo seu porta-voz, Guterres lembra que tem “apelado insistentemente tanto aos Estados Unidos quanto à Federação Russa para que resolvam suas diferenças através dos mecanismos de consulta previstos no Tratado” e lamenta que “não tenham conseguido fazê-lo.”

O secretário-geral António Guterres durante coletiva de imprensa na sede da ONU em Nova Iorque, by ONU/Mark Garten

Ameaças

Segundo agências de notícias, os dois países abandonaram esta sexta-feira o acordo que o presidente dos Estados Unidos Ronald Reagan e o líder da União Soviética assinaram em 1987.

Guterres afirma que, na atual deterioração do ambiente de segurança internacional, “acordos de desarmamento e controle de armas previamente acordados estão cada vez mais ameaçados.”

Segundo o chefe da ONU, desde a entrada em vigor em 1 de junho de 1988, o tratado “contribuiu de forma tangível para a manutenção da paz e estabilidade a nível internacional, especialmente na Europa.”

Para o secretário-geral, o documento “desempenhou um papel importante na redução de riscos, fortalecendo a confiança e ajudando a terminar com a Guerra Fria.”

Futuro

António Guterres destaca ainda “a necessidade de evitar desenvolvimentos desestabilizadores e buscar urgentemente um acordo sobre um novo caminho comum para o controle internacional de armas.”

Por fim, o chefe da ONU pede que a Rússia e os Estados Unidos estendam o chamado Novo Start e realizem negociações sobre outras medidas de controle de armas.

/ Source link